to be

Se você já começou um curso de inglês ou se pelo menos teve aulas de inglês na escola regular, com certeza você já se deparou com o famoso verb to be! Muito provavelmente você virou os olhos agora porque já deve estar de saco cheio de tanto ouvir falar neste verbo, mas tem muita coisa sobre o verbo to be que é provável que você ainda não sabe e que eu vou compartilhar com você agora.

1. O verbo To be é um verbo irregular

Ou seja, ele não segue as regras padrão da língua, ele não é conjugado como a maioria dos verbos, e portanto, você não pode usar a estrutura que aprendeu com ele como base para a criação de todas as suas frases.

2. Pronomes e verbos são seres de planetas diferentes!

Pronomes são palavras que substituem os substantivos.
Existem vários tipos de pronomes, mas o que vamos nos concentrar agora são os pronomes pessoais (subject pronouns): I, you, he, she, it, we, you e they.

Verbos são palavras que descrevem uma ação, um estado, uma sensação. Ou seja, que descreve o que o sujeito da frase faz, sente, pensa, é…

Observe a conjugação do verbo to be abaixo:

to be

Azul = pronome/ Vermelho = verbo

Quanto estamos começando a estudar inglês, aprendemos o verbo to be em conjunto com os pronomes pessoais (subject pronouns) e para alguns alunos, a combinação “pronome+verbo” vira um combo só, uma combinação que eles não conseguem separar mesmo quando estão estudando outros verbos.

Observe os exemplos:

I am a teacher – (correto)
Im work in a school – (errado, pois o ‘m não acompanha o pronome “I”)
I work in a school (correto)

3 . O “to be” dispensa o uso de auxiliares.

Por se tratar de um verbo irregular, ele não usa auxiliares como a maioria dos tempos verbais em inglês. O verbo to be consegue formar a negativa e interrogativa de forma autônoma.

to be

4 . A contração é opcional.

Para facilitar a pronúncia e tornar a sonoridade da língua mais leve, algumas letras (e até mesmo sílabas) começaram a ser naturalmente omitidas na hora da fala, e é isso que chamamos de contração.

A full form (forma cheia) é mais recomendada na língua escrita, principalmente em textos mais formais. Já na língua falada, a contracted form (forma contraída) é mais comum.

5 . Interrogativa do verbo to be.

A interrogativa do to be se faz invertendo a ordem do sujeito e do verbo. O verbo vem pra antes do sujeito. Não usando nenhum tipo de auxiliar. Existem dois tipos de perguntas diferentes, como você pode ver no quadro a seguir:

to be

As perguntas que “pedem” resposta Yes/No, não usam palavras interrogativas (what, when, where, why, how, etc…). Já as perguntas que “pedem” respostas diferentes de Yes/No precisam usar palavras interrogativas.

6 . Ser/Estar em português não é igual a “to be” em inglês.

Muito cuidado com traduções. Não é porque uma frase usa o verbo ser ou estar em português que será traduzida com o “to be” em inglês. É importante entender a mensagem que você quer transmitir e procurar o corresponde no outro idioma, que pode ser ou não com o mesmo verbo.

Veja os exemplos a seguir:

How old are you?
Quantos anos você tem?

Is there a bank near here?
Há um banco aqui perto?

Como você viu, tem frase que em inglês usa o to be e que no português é o verbo ter, haver, entre outros.

7. O verbo to be é base para outros verbos.

Muita gente acha o verbo to be bobo e se chateia quando o professor quer revisa-lo, mas elas esquecem que o to be é base para vários outros verbos e tempos verbais, tais como: presente contínuo, voz passiva, to be able to, to be supposed to, passado contínuo, voz direta/indireta… . Enfim, muitas construções que deixam a sua fala mais rica que você pode estar errando só por não dominar o verbo to be. Que tal acabar com isso agora? Clique aqui para fazer vários exercícios com o verb to be.

Gostou do texto? Quer agradecer e nos ajudar a escrever ainda mais? É fácil ! Você pode simplesmente clicar em um dos ícones abaixo e divulgar este post a todos que precisam aprender inglês. Você também nos ajuda, seguindo nossos perfis no Facebook e no Instagram!